Wednesday, 30 November 2011

Vigília


Monday, 28 November 2011

Aparas de um dia afiado de novo

Soubesse eu pintar o som de um arrepio de brisa sobre a pele e gastaria todas as cores do anoitecer.

Sunday, 27 November 2011

Pictograma


Friday, 25 November 2011

Thursday, 24 November 2011

Wednesday, 23 November 2011

O outro lado do lado de cá

Nota: Sei que vai ser difícil acreditar, mas esta fotografia não tem qualquer tratamento de cor, nem foi usado qualquer filtro...o mundo acordou mesmo lilás!

Tuesday, 22 November 2011

Sunday, 20 November 2011

Índice [Table of contents]

...em branco
para nada procurar
a não ser a surpreendente nudez da desordem.

Friday, 18 November 2011

Última nota de rodapé [Last Footnote]

...pois sob o caudal imenso da noite, afogavam-se todas as margens e até todas as montanhas...sobrava, tão somente, o incompleto sentido da luz.

Thursday, 17 November 2011

6ª nota de rodapé [6th footnote]

Foi talvez um sonho, mas quase jurava ter ouvido a lua segredar: "Saberei impedir o naufrágio do mar."

Tuesday, 15 November 2011

5ª nota de rodapé [5th footnote]

Falta-me o talento para as coisas que são o que são.
Cruzo palavras no papel, tecendo chão e caminho.
Algures,
 entre a trama,
 guardo
a ousadia de um passo sem norte
um destino largado na esquina
um riso de pássaro
uma outra fase da Lua, segredo de mar e de sal
a arte de esconder o mundo inteiro atrás 
de um gesto, de um som, de uma pincelada de cor além tela.


e eu sei
sei que nem todas as manhãs anunciam o dia
e sei que me falta o talento das madrugadas
e sei que sempre, quase sempre,
todas as coisas são
apenas aquilo que são.



4ª nota de rodapé [4th Footnote]

...e acordar assim, sem verbos para conjugar.

Monday, 14 November 2011

3ª nota de rodapé (3rd footnote]

Amanhã agarro-me ao vento e nenhum longe será longe demais.

Saturday, 12 November 2011

2ª nota de rodapé [Second Footnote]

...e porque me aborreciam os dias lisos e planos, recortei-os
recortei-os
 e escrevi uma página impossível
onde as palavras dançam abraços
na perfeita suavidade da palma da minha mão.

1ª nota de rodapé [1st Footnote]

Desenho sorrisos de corpo inteiro na semi-obscuridade 
e encontro o exato lugar
 onde as sombras entrelaçam histórias de luz.

Wednesday, 9 November 2011

Outras leituras-Cap.11 [Chapter 11]

...onde ardem palavras.

Tuesday, 8 November 2011

Outras leituras-Cap.10 [Chapter 10]

Era uma vez todas as palavras que calei...prisioneiras de entrelinhas.

Monday, 7 November 2011

Outras leituras-Cap.9 [Chapter 9]

...acordara palavra, na página errada...e afinal, a outra margem era já ali ao lado...

Sunday, 6 November 2011

Outras leituras-Cap.8 [Chapter 8]

... e porque era noite, enrosquei aconchegos, para tocar com dedos macios de sono. E foi então que aconteceu uma palavra de encantar.

Saturday, 5 November 2011

Outras leituras- Cap.7 [Chapter 7]

...onde se fala de uma palavra-semente que floresceu silêncio.

Friday, 4 November 2011

Outras leituras-cap.6 [Chapter 6]

...no qual se fala de uma palavra sem poiso, que içou velas e se fez longe.

Thursday, 3 November 2011

Outras leituras-Cap.5 [Chapter 5]

...onde se fala de uma palavra-lua que encapelou a noite e quebrou todas as marés.

Wednesday, 2 November 2011

Outras leituras-cap.4 [Chapter 4]

...em que se fala de uma última palavra que arrepiou a noite.

Tuesday, 1 November 2011